segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Desempenho de Atletas Botafoguenses no Campeonato Sul-Americano de Remo 2010

pesquisa de Claudio Falcão

Excelentes resultados obtiveram atletas botafoguenses, integrantes da equipe brasileira, no campeonato sul-americano de remo disputado nos últimos sábado e domingo, 27 e 28 de novembro, na cidade de Concepción (Chile).

Medalhas de ouro em duas provas:
= Single skiff Sub-23, com Aílson Eráclito e
= Oito com Sênior A, sendo integrantes da guarnição os botafoguenses Cláudio Geovani (timoneiro), Aílson Eráclito, Anderson Nocetti, Armando Max e Célio Dias Amorim.

Medalhas de prata em quatro provas:
= Double skiff Júnior, com Marciel Souza e Victor Tavola;
= Quatro sem Sênior A, com a participação dos remadores alvinegros Aílson Eráclito e Anderson Nocetti;
= Dois sem Sênior A, com Aílson Eráclito e Anderson Nocetti e
= Quatro sem Júnior, contando com o remador botafoguense Victor Tavola.

E o treinador do Botafogo, Alexandre Monteiro, o "Xoxô", integrou a comissão técnica do Brasil.

Ressalte-se ainda que uma remadora alvinegra, a paraguaia Gabriela Benitez, conquistou duas medalhas para o seu país (ouro no double skiff sub-23 e prata no single skiff sub-23).

[Fonte: site oficial do Botafogo F.R.]

sábado, 27 de novembro de 2010

Botafogo Campeão do Torneio de Futebol Eduardo Paes - 1994

pesquisa de Pedro Varanda

Em 1994 o Botafogo conquistou o Torneio Triangular Eduardo Paes, disputado no campo do Barra da Tijuca F.C., no Rio de Janeiro.

O 'capitão' Wilson Gottardo ergue o troféu de campeão
do Torneio Eduardo Paes (foto: Jornal dos Sports)

TRIANGULAR INTERNACIONAL EDUARDO PAES - 1994
23/07 - Barra da Tijuca (BRA) 3 X 0 União da Ilha da Madeira (POR)
31/07 - Botafogo (BRA) 1 x 0 Barra da Tijuca (BRA)
02/08 - União da Ilha da Madeira (POR) 0 x 1 Botafogo (BRA)

COLOCAÇÃO:
Botafogo (campeão) - 4 PG
2º Barra da Tijuca - 2 PG
3º União da Ilha da Madeira - 0 PG

BOTAFOGO 1 X 0 BARRA DA TIJUCA F.C.
Data: 31/07/1994
Local: Campo do Barra da Tijuca, Rio de Janeiro
Árbitro: Marcos Vinícius Sá Freire
Assistentes: Fernando Alberto e Augusto Torres
Competição: Triangular Internacional Eduardo Paes
Botafogo: Wagner, Germano, Wilson Gottardo, Márcio Theodoro e Clei; Moisés, Pardal, Beto e Sérgio Manoel; Róbson e Marcos Paulo. Técnico: Renato Trindade
Barra da Tijuca: Vágner, Xande, Luís Cláudio, Tostão e Serginho; Mauro, Maciel, Júnior (Tuca) e Gustavo; James (Cristiano) e Dílson. Técnico: Danilo Alves
Gol: Clei, aos 19' (2º tempo)
Obs.: Tuca, irmão de Bebeto (José Roberto Gama de Oliveira).
Fontes: Botafogo F.R. e Jornal dos Sports

BOTAFOGO 1 X 0 UNIÃO DA ILHA DA MADEIRA (POR)
Data; 02/08/1994
Local: Campo do Barra da Tijuca, Rio de Janeiro
Árbitro: José Maurício Santos
Competição: Triangular Internacional Eduardo Paes (Botafogo campeão)
Botafogo: Wagner, Robinho, Wilson Gottardo, Márcio Theodoro e Clei (Jânderson "Pardal"); Moisés, Nélson, Beto e Sérgio Manoel; Róbson e Marcos Paulo (Batata). Técnico: Renato Trindade
União de Funchal (Ilha da Madeira): Zivanovie, Nelinho, Dragan, Germano e Leonardo; Joílton, Rodrigo (Márcio Luiz), Jokanovi e Robert (Pedro Paulo); Simic e Lepi (Tico). Técnico: Ernesto Paulo
Gol: Batata, aos 26' (2º tempo)
Obs.: Nelinho e Sérgio Manoel foram expulsos.
Fontes: Botafogo F.R. e Jornal dos Sports

terça-feira, 23 de novembro de 2010

Silvina das Graças Pereira, Grande Vulto do Atletismo Botafoguense

pesquisa de Claudio Falcão

Silvina das Graças Pereira

Nascida na cidade fluminense de Vassouras a 31 de outubro de 1948, Silvina chegou ao Botafogo no ano de 1965, trazida pelo então diretor de atletismo Brigadeiro Lessa, que a vira competindo nos Jogos Infantis. Na ocasião residia com a família na Mangueira e cursava o 2º ano do antigo curso ginasial no Colégio John Kennedy. Posteriormente transferiu-se para o Colégio Arte e Instrução, em Cascadura, onde conseguira uma bolsa de estudos. Seu técnico no Botafogo era Aílton da Conceição.

Tricampeã carioca de atletismo pelo Botafogo (1965-1966-1967), foi como atleta do Glorioso que competiu pelo Brasil no Campeonato Sul-Americano de Atletismo em Quito, Equador (1969), quando conquistou quatro medalhas de ouro, além do título de campeã, tendo se consagrado como a melhor atleta do campeonato. Também esteve em ação nos Jogos Pan-Americanos de Cáli (1971), onde obteve a medalha de prata no salto em distância, com a marca de 6,35m e no Pan-Americano da Cidade do México (1975), onde conquistou a medalha de bronze nos 200m rasos, com o tempo de 23"17 (recorde sul-americano). Atleta olímpica, participou dos Jogos de Montreal (1976), onde competiu nas provas dos 200m rasos e do salto em distância, não logrando, no entanto, a conquista de medalha.

Silvina, em 1975 (foto: O Globo)

Laureada com o título de emérita do Botafogo de Futebol e Regatas em dezembro de 1967, é detentora da Medalha de Mérito da Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt).

Ex-professora de Língua Portuguesa do CEFET/RJ.

Fontes:
Jornal do Brasil, de 13/09/1967;
Jornal do Brasil, de 16/10/1969;
Jornal do Brasil, de 17/10/1975;
Botafogo o Glorioso - Uma História em Preto e Branco, de Braz Pepe, Luiz Felipe de Miranda e Ney Oscar de Carvalho; Rio de Janeiro - 1996, pág. 118;

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Em 1985 o Botafogo conquistou a Philips Cup no Futebol Profissional

pesquisa de Claudio Falcão e Pedro Varanda

A delegação de futebol profissional do Botafogo viajou em 1985 para a Suíça, onde o Alvinegro conquistou a Philips Cup, que também ficou conhecida entre nós como o Torneio de Berna.


Assim se desenrolou a competição:

31/07 - Young Boys (SUÍ) 1 x 2 Botafogo (BRA)
31/07 - Borussia Mönchengladbach (ALE) 0 x 0 Servette (SUÍ)
Nos pênaltis: Borussia Mönchengladbach 3x2
02/08 - Servette (SUÍ) 2 x 3 Young Boys (SUÍ)
02/08 - Botafogo (BRA) 5 x 0 Borussia Mönchengladbach (ALE)

Colocação:
Botafogo (campeão) - 4 PG
2º Borussia Mönchengladbach (vice) - 2 PG
3º Young Boys - 2 PG
4º Servette - 1 PG

31/07 - Botafogo 2 x 1 B.S.C. Young Boys (Suíça)
Gols: Baltazar (2), aos 15' e 25' e Lunde, aos 44' (todos no 2º tempo)
Equipe: Luiz Carlos, Josimar, Marinho, Oswaldo e Wagner Pepeta; Alemão, Elói e Renato (Ademir Fonseca); Baltazar, Petróleo (Berg) e Antônio Carlos

02/08 - Botafogo 5 x 0 Borussia Mönchengladbach (Alemanha)
Gols: Baltazar (2), Petróleo, Elói e Alemão
Botafogo: Luiz Carlos, Josimar, Marinho, Oswaldo (Leiz) e Wagner Pepeta; Alemão, Elói e Renato; Baltazar, Petróleo e Antônio Carlos (Helinho)
Borussia Mönchengladbach: Sude, Bruns, Borowka, Drehsen e Frontzeck; Rahn, Lienen (Krauss) e Hochstaetter; Hannes, Mill e Criens (Pinkall)

Técnico: Abel Braga

[Fontes: Botafogo F.R., O Globo, Jornal do Brasil e Jornal dos Sports.]

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Botafogo Campeão Carioca (Tri) de Basquetebol Adulto Masculino de 1968

pesquisa de Claudio Falcão

Mesmo com a perda de dois importantes jogadores titulares da campanha de 1967, Barone e Edinho, que se transferiram para o Vasco da Gama, bem como do técnico Tude Sobrinho, que foi para o Fluminense, o Botafogo conquistou o tricampeonato carioca de basquetebol adulto masculino em 1968.

Elenco de 1968: em pé - Rogério, Aurélio, Peixotinho, Luís Amaro,
Válter, João e Cianela; agachados - Marcelo, César, Ilha, Vágner e Érico

Esta foi a campanha:

Turno:
Botafogo 65 x 47 América F.C.
Botafogo 64 x 50 Tijuca T.C.
Botafogo 54 x 34 C. Municipal
Botafogo 61 x 64 Fluminense F.C.
Botafogo 77 x 71 C.R. Flamengo
25/11 - Botafogo 66 x 68 C.R. Vasco da Gama (no América F.C.)

Returno:
Botafogo 80 x 46 América F.C.
Botafogo 66 x 49 Tijuca T.C.
09/12 - Botafogo 78 x 61 C.R. Flamengo (no Tijuca T.C.)
Botafogo 80 x 77 Fluminense F.C.
20/12 - Botafogo 72 x 62 C.R. Vasco da Gama (no C. Municipal)
Botafogo 84 x 57 C. Municipal

Melhor de Três:
17/01/1969 - Botafogo 49 x 47 C.R. Vasco da Gama (no Maracanãzinho)
Jogaram e marcaram para o Botafogo: Ilha (19), Aurélio (14), Válter (6), Peixotinho (4), Luís Amaro (4), César (2) e Cianela.

21/01/1969 - Botafogo 53 x 57 C.R. Vasco da Gama (na prorrogação, após 48 x 48 no tempo regulamentar) (no Maracanãzinho)
Jogaram e marcaram para o Botafogo: Ilha (17), César (12), Aurélio (8), Peixotinho (6), Cianela (4), Válter (4), Luís Amaro (2), Érico e Rogério.

24/01/1969 - Botafogo 59 x 55 C.R. Vasco da Gama (no Maracanãzinho)
Jogaram e marcaram para o Botafogo: César (23), Ilha (11), Peixotinho (11), Aurélio (8), Válter (4), Érico (2), Luís Amaro e Rogério.

Elenco (com a numeração da camiseta):
4 - Ilha
5 - João (Vágner)
6 - Érico
7 - Luís Amaro
8 - Rogério
9 - Português
10 - Aurélio
11 - Marcelo
12 - César
13 - Válter
14 - Cianela
15 - Peixotinho

Time base: Ilha, Aurélio, César, Válter e Peixotinho.

Técnico: Epaminondas José Leal Filho.

[Fontes: Jornal do Brasil, de 17/01, 18/01, 22/01, 25/01 e 26/01/1969 e O Globo, de 21/01, 22/01 e 25/01/1969.]

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Botafogo Campeão Carioca (Bi) de Basquetebol Adulto Masculino de 1967

pesquisa de Claudio Falcão

No ano de 1967 o Botafogo sagrou-se campeão carioca de basquetebol adulto masculino, título que já conquistara no ano anterior e que se repetiria em 1968, constituindo-se em um glorioso tricampeonato.

Vamos à campanha de 1967:

Turno:
11/09 - Botafogo 65 x 38 A.A. Vila Isabel (c)
13/09 - Botafogo 82 x 28 Riachuelo T.C.
15/09 - Botafogo 85 x 45 Grajaú T.C. (c)
18/09 - Botafogo 89 x 51 C. Municipal (f)
20/09 - Botafogo 93 x 54 América F.C. (c)
22/09 - Botafogo 87 x 49 S.C. Mackenzie (c)
25/09 - Botafogo 71 x 63 Fluminense F.C., na prorrogação (no Tijuca T.C.)
Atuaram e marcaram pelo Botafogo: Barone (15), Ilha (20), César (13), Peixotinho (9), Cianela (8), Edinho (6), Luís e Renato.
29/09 - Botafogo 74 x 43 Tijuca T.C. (f)
02/10 - Botafogo 62 x 57 C.R. Flamengo (no Tijuca T.C.)
Atuaram e marcaram pelo Botafogo: Aurélio (22), César (16), Barone (10), Ilha (8), Cianela (4) e Peixotinho (2).
06/10 - Botafogo 73 x 67 C.R. Vasco da Gama (no Tijuca T.C.)
Atuaram e marcaram pelo Botafogo: Ilha (32), Barone (12), Edinho (11), Aurélio (6), César (6), Peixotinho (3), Franklin (2), Claudius (1), Cianela, Luís Amaro, Zé Antônio e Raimundo.

Returno:
20/10 - Botafogo 79 x 49 Riachuelo T.C. (f)
23/10 - Botafogo 65 x 36 A.A. Vila Isabel (f)
27/10 - Botafogo 95 x 61 América F.C. (no Tijuca T.C.)
30/10 - Botafogo 84 x 50 C. Municipal (no Tijuca T.C.)
03/11 - Botafogo 59 x 38 Tijuca T.C. (no C. Municipal)
06/11 - Botafogo 69 x 31 S.C. Mackenzie (f)
10/11 - Botafogo 60 x 35 Grajaú T.C. (no Maracanãzinho)
13/11 - Botafogo derrotou o Fluminense F.C. (no Maracanãzinho)
17/11 - Botafogo 71 x 52 C.R. Flamengo (no Maracanãzinho) - JOGO DO TÍTULO
Atuaram e marcaram pelo Botafogo: Ilha (2), Aurélio (6), Barone (16), Cianela (8), César (18), Edinho (12), Peixotinho (4), Luís Amaro (5), Franklin, Conde, Renato e Claudius.
20/11 - Botafogo 71 x 82 C.R. Vasco da Gama (no Tijuca T.C.) - única derrota
Atuaram e marcaram pelo Botafogo: Edinho (24), Barone (15), Peixotinho (14), Aurélio (10), Luís Amaro (5), Franklin (2), Ilha (1), Conde e Renato.

Classificação final:
1º Botafogo (bicampeão) - 41 PG
2º Vasco da Gama (vice) - 40 PG
3º Flamengo - 37 PG
4º Fluminense - 34 PG
Obs.: para todos os clubes foram computados pontos relativos a confrontos com o Olaria A.C., que desistiu de disputar a competição.

Elenco (com a numeração da camiseta):
4 - Ilha
5 - Raimundo (Conde)
6 - Claudius
7 - Luís Amaro
8 - Franklin
9 - Peixotinho
10 - Aurélio
11 - Barone
12 - Zé Antônio (Renato)
13 - Edinho
14 - Cianela
15 - César
Técnico: Tude Sobrinho

[Fontes: Jornal do Brasil e Jornal dos Sports.]

Atletas e número de participações:
Luís Carlos Peixoto (Peixotinho) - 20 jogos
José Luís Ilha Alves Pereira - 19
César Augusto Sebba - 19
José Carlos Cianela - 19
Édson de Almeida Ramos (Edinho) - 19
Carlos Barone Neto - capitão - 18
Luís Amaro Calazans Veiga - 18
Aurélio Tomassini - 14
Raimundo Grossi - 13
Claudius Devoto - 13
José Antônio Oliveira Ribeiro Gonçalves (Zé Antônio) - 12
Renato Serra Alves Pereira - 11
Ricardo Vieira Meireles - 11
Franklin Pimentel - 10
Ricardo Conde - 4
Técnico: José (Fernandes) Tude Sobrinho.

[Fonte: Jornal dos Sports, de 26/11/1967 - coluna Botafogo Dia a Dia.]

domingo, 7 de novembro de 2010

O Botafogo no(s) Sul-Americano(s) de Basquetebol Masculino de 1967

pesquisa e texto de Claudio Falcão

Há muito tempo ouve-se que "há coisas que só acontecem ao Botafogo". Já me perguntaram sobre a origem do 'dito popular', porém não soube e ainda não sei responder. Porém creio que o que passo a narrar a seguir poderia se enquadrar perfeitamente na conhecida citação.

Ao conquistar em 1º de abril de 1967 o título da Taça Brasil de Clubes Campeões de Basquetebol Masculino, o Botafogo credenciou-se a disputar em Antofagasta (Chile) o Campeonato Sul-Americano extra daquele mesmo ano. Já li em algumas publicações (1 - O Glorioso, nº 2, agosto/1975; 2 - Catálogo da 1ª Mostra dos Troféus do Botafogo de Futebol e Regatas, 19 de junho de 1977; 3 - MERCKado Médico, nº 65, maio/1991 - entrevista com o ex-jogador dr. Raimundo Grossi) que o Clube Alvinegro conquistara o Sul-Americano de Basquete de 1967.

Elenco do Botafogo em 1967 (foto: O Globo)

No entanto, em pesquisas que fiz na coleção do Jornal dos Sports encontrei o que se segue, em transcrição literal (os destaques em negrito no texto são meus).

Jornal dos Sports - 3ª feira, 05/09/1967, pág. 2

BOTAFOGO DIA A DIA

Nosso Basquete em Antofagasta

Pela Varig, voo 862, chega hoje, às 21 horas, a Rio, sob a chefia do dirigente Mauro Palmeiro, a última parte da delegação que representou o BOTAFOGO no recente Torneio dos Clubes Campeões Sul-americanos de Basquete, em Antofagasta, no Chile.
Domingo, à noite, retornaram alguns atletas e o técnico Tude Sobrinho, entregando imediatamente ao Presidente Nei Palmeiro, que os aguardava no Galeão, um bonito bronze, simbolizando o Caçador Chileno, a que fez jus nossa representação por se haver colocado em terceiro lugar no certame.
O feito da equipe botafoguense ganha especial realce quando se considera que três de seus mais destacados integrantes, César, Edinho e Peixotinho, não puderam ir a Antofagasta, requisitados que se acham para a seleção universitária brasileira que atua em Tóquio, e ainda que outro titular da equipe, Aurélio, teve que retornar ao Brasil antes de cumpridos os três últimos compromissos, sendo que na partida final, por força de suspensão imposta a Oto e Marcelo, o BOTAFOGO ficou reduzido a oito jogadores: Barone, Ilha, Cianela, Franklin, Luís Amaro, Raimundo, José Antônio e Claudius.
Note-se também que as demais equipes eram verdadeiras seleções e que as arbitragens nos foram desfavoráveis.
Mesmo assim obteve o BOTAFOGO três expressivas vitórias: contra o clube Cidade Nova, do Paraguai, por 66 a 47, contra o Ingavi, da Bolívia, por 62 a 58 e contra o Selecionado de Antofagasta, por 62 a 58, sendo derrotado no segundo jogo, pelo João Batista Alberdi, da Argentina, por 75 a 74, e nos dois últimos compromissos, contra o Tomás Bata, de Santiago, campeão do Torneio, por 61 a 58, e contra o Welcome, do Uruguai, por 77 a 66.
Ainda no Galeão, o técnico Tude Sobrinho assegurou ao Presidente do BOTAFOGO que a equipe encontra-se em condições de defender com galhardia seu título de campeã no campeonato carioca de basquete, já em sua fase inicial.

Foi a primeira 'ducha de água fria', porém não a única. Vejam este noticiário do Jornal do Brasil (mais uma vez destaquei alguns detalhes em negrito).

Jornal do Brasil - 4ª feira, 13/09/1967, pág. 18

Tude acredita que título possa ficar com Botafogo

- Acredito que temos plenas possibilidades de conquistar o Campeonato Sul-Americano oficial, em outubro, caso nosso elenco não sofra desfalques até lá e conte com Peixotinho, César e Edinho, que não puderam ir ao Chile - declarou o técnico Tude Sobrinho, responsável pela equipe de basquetebol masculino do Botafogo, colocada em 3º lugar no recente Sul-Americano Extra, em Antofagasta.

E mais adiante:

- Mesmo desfalcados de Peixotinho, Edinho, César e Aurélio, este nos três encontros finais, conseguimos chegar em 3º lugar, ...

Confirmou-se assim que o Botafogo colocou-se em terceiro lugar no Sul-Americano extra do Chile, mas 'enxergou-se uma luz no fim do túnel', com a declaração de Tude Sobrinho de que haveria em outubro um Sul-Americano "oficial". De fato, ao retornar do Chile, os dirigentes alvinegros passaram a pleitear o patrocínio do Campeonato Sul-Americano de Clubes Campeões, que seria realizado no Rio de Janeiro, pois daqui saíra o último campeão da Taça Brasil. Os dias foram passando, com a equipe do Glorioso disputando o Campeonato Carioca, do qual viria a ser campeã, mais precisamente bicampeã, quando, também no Jornal do Brasil, publicou-se uma nota 'pra lá' de esclarecedora (novamente destaquei em negrito alguns detalhes do texto).

Jornal do Brasil - 4ª feira, 25/10/1967, pág. 18

BOTAFOGO CAMPEÃO

Em ofício recebido da Comissão de Zona da FIBA, a Confederação Brasileira de Basquetebol teve comunicação oficial de que o Botafogo foi designado campeão sul-americano de clubes campeões, por falta de outros concorrentes ao certame, que seria efetivado no Rio, sob o patrocínio do próprio Botafogo.
Em consequência, o atual campeão carioca e brasileiro não precisou jogar para habilitar-se a representar a América do Sul no III Campeonato Mundial de Clubes, previsto para janeiro próximo, nos Estados Unidos.

Creio que mais uma vez pode-se concluir que "há coisas que só acontecem ao Botafogo", pois fomos proclamados campeões sul-americanos de basquetebol masculino de 1967 'por decreto', ou seja, sem disputar uma só partida.

E em janeiro de 1968, reforçado do 'gigante' pivô do basquetebol paulista Emil Rached, com seus 2,23m, porém já sem o excelente jogador Oto, que havia disputado o sul-americano do Chile e que se transferira para a S.E. Palmeiras, o Glorioso partiu para os Estados Unidos, onde, na cidade de Philadelphia, seria realizado o Mundial. O certame contava com a participação da equipe do Goodyear, de Akron (USA), campeão da competição em 1967; do Real Madrid, campeão europeu; do Simmenthal, de Milão (Itália), vice-campeão europeu; além do nosso Botafogo.

Estreamos contra o poderoso Goodyear, no dia 04 de janeiro, sendo derrotados por 84 x 52, saindo da disputa do título, e disputamos em 06 de janeiro o terceiro lugar contra o Simmenthal, que perdera para o Real Madrid, sendo o Alvinegro derrotado por 82 x 54, classificando-se em quarto lugar.

Jogaram e marcaram para o Botafogo:
04/01 - Goodyear 84 x 52 Botafogo
Emil (10), Cianela (8), César (8), Conde (7), Peixotinho (5), Barone (4), Ilha (4), Edinho (4), Luís Amaro (2) e Aurélio.
06/01 - Simmenthal 82 x 54 Botafogo
Emil (13), Conde (11), Barone (10), César (8), Edinho (6), Peixotinho (2), Ilha (2) e Cianela (2).

Foi esta a classificação final do III Campeonato Mundial de Clubes Campeões de Basquetebol Masculino (USA - 1968):

1º Goodyear (bicampeão) - 2 vitórias
2º Real Madrid (vice) - 1 vitória e 1 derrota
3º Simmenthal - 1 vitória e 1 derrota
4º Botafogo F.R. - 2 derrotas

[Fontes: Jornal do Brasil, de 03/01, 05/01, 06/01 e 13/01/1968 e O Globo, de 06/01 e 08/01/1968.]

segunda-feira, 1 de novembro de 2010

Em 1963 o Botafogo conquistou no Futebol o Torneio de Paris

pesquisa de Claudio Falcão e Pedro Varanda


Em junho de 1963 o Botafogo conquistava o seu primeiro título de futebol em terras europeias, o Torneio de Paris, como veremos a seguir:

11/06 - Racing de Paris (FRA) 2 x 1 Ujpest Dozsa (HUN)
11/06 - Anderlecht (BÉL) 0 x 1 Botafogo (BRA)
13/06 - Ujpest Dozsa (HUN) 0 x 2 Anderlecht (BÉL)
13/06 - Botafogo (BRA) 3 x 2 Racing de Paris (FRA)

Classificação:
Botafogo (campeão) - 4 PG
2º Racing de Paris (vice) - 2 PG
3º Anderlecht - 2 PG
4º Ujpest Dozsa - 0 PG

BOTAFOGO 1 x 0 R.S.C. ANDERLECHT (Bélgica)
Data: 11/06/1963
Local: Parc des Princes, Paris
Público: 15.000
Gol: Amarildo, de cabeça, aos 15' (2º tempo)
Botafogo: Manga, Paulistinha, Zé Maria, Nílton Santos e Rildo; Ayrton e Zagallo; Garrincha, Jair Bala, Amarildo e Quarentinha
Anderlecht: Trappaniers, Heylens e Verbiest; Lippens, Cornelis e Jurion; Hanon, Janssen, Van Himst, Stockmann e Puis

BOTAFOGO 3 x 2 RACING DE PARIS (França)
Data: 13/06/1963
Local: Parc des Princes, Paris
Público: 20.000
Gols: Quarentinha, aos 16', Jair Bala, aos 18' (1º tempo); Milutinovic, aos 16', Heutte, aos 33' e Amarildo, aos 40' (2º tempo)
Botafogo: Manga, Paulistinha, Zé Maria, Nílton Santos e Rildo; Ayrton e Zagallo; Garrincha, Jair Bala, Amarildo e Quarentinha. Técnico: Danilo Alvim
Racing: Taillandier, Lelong, Bidin e Polrot; Bollini e Mahjub; Heutte, Senac, Milutinovic, Van Sam e Charpentier. Técnico: ?

[Fontes: Jornal do Brasil, de 14/06/1963; O Globo e Revista Botafogo, nº 202, de setembro/1963.]