quarta-feira, 29 de junho de 2011

Primeiro Jogo Oficial de Profissionais em General Severiano

pesquisa de Claudio Falcão e Pedro Varanda



O remodelado estádio do então Botafogo F.C., em General Severiano, foi inaugurado a 28 de agosto de 1938, com a partida amistosa entre Botafogo e Fluminense, na qual o Alvinegro triunfou por 3 a 2.

O primeiro jogo oficial do quadro de profissionais do Glorioso, no recém-inaugurado estádio, ocorreu uma semana após.

Aspecto da arquibancada social de General Severiano

BOTAFOGO 3 x 0 BONSUCESSO
Data: 04/09/1938
Local: General Severiano, Rio de Janeiro
Árbitro: Carlos de Oliveira Monteiro, o “Tijolo”
Competição: Campeonato Carioca – 1ª Rodada
Gols: Perácio, de cabeça (1º tempo); Carvalho Leite e Nélson Juliani (2º tempo)
Botafogo: Aymoré Moreira, Bibi e Nariz; Zezé Moreira, Del Popolo e Canalli; Théo, Paschoal (Lara, depois Nélson Juliani), Carvalho Leite, Perácio e Patesko. Técnico: Carlos (Carlito) Martins da Rocha
Bonsucesso: Helion, Newton e Mário; Camisa, Neco e Otto; Nélson, Paranhos (Euclydes), Gradim, Pedro Nunes e Odyr
Obs.: jogo secundário (1ºs quadros amadores) → Botafogo 4 x 2 Bonsucesso.

[Fontes: O Futebol no Botafogo (1904-1950), de Alceu Mendes de Oliveira Castro, Folha da Manhã (São Paulo), Jornal dos Sports e O Jornal.]

quarta-feira, 22 de junho de 2011

O Meio-Campo Berg no Botafogo

pesquisa de Pedro Varanda


Ninimbergue dos Santos Guerra, o Berg (n. 16-03-1963 e fal. 11-07-1996), veio do Rio Negro (AM) para o Botafogo em 1983, tendo atuado em 235 jogos e assinalado 39 gols pelo Glorioso, entre 1983 e 1988, 1990 e também 1993.

Títulos de Berg pelo Botafogo:
1984
Campeão do Torneio de Genebra.
1985
Campeão do Torneio de Berna (Philips Cup).
1990
Campeão Estadual (disputou três jogos).

Estreia de Berg pelo Botafogo:
BOTAFOGO 4 x 0 COMBINADO DE BARBACENA (MG)
Data: 26/06/1983
Local: Santa Teresa, Barbacena
Árbitro: Amires Vieira das Chagas
Competição: Amistoso
Gols: Márcio (contra), Nunes (2) e Berg
Botafogo: Luiz Carlos (Ica), Josimar (Paulo Verdan), Abel, Christiano (Luís Cláudio) e Marco Antônio; Serginho (Ademir Fonseca), Demétrio e Berg; Geraldo, Nunes (Té) e Jérson. Técnico: Sebastião Leônidas
Combinado de Barbacena: Luciano (Nado), Zé Olímpico (Carioca), Fernando (Gilmar), Márcio e Márcio Heleno; Paulinho, Grilo e Gibão (Gílson); Geninho (Nílson), Vanderlei (Celinho) e Agostinho. Técnico: Rosenil

Estreia em jogos oficiais:
BOTAFOGO 3 x 2 VASCO DA GAMA
Data: 24/07/1983
Local: Maracanã, Rio de Janeiro
Renda: Cr$51.794.000,00
Público: 57.369
Árbitro: Arnaldo Cézar Coelho
Competição: Campeonato Estadual
Gols: Marquinho Rodrigues, aos 26’, Berg, aos 29’ e Nunes, aos 39’ (1° tempo); Demétrio, aos 34’ e Roberto Dinamite, aos 38’ (2° tempo)
Botafogo: Paulo Sérgio, Josimar, Abel, Christiano e Marco Antônio; Ademir Fonseca, Ataíde e Berg; Geraldo, Nunes e Jérson (Demétrio). Técnico: Sebastião Leônidas
Vasco da Gama: Orlando, Galvão, Chagas, Celso e João Luís; Serginho, Dudu (Amauri) e Geovani (Ernâni); Pedrinho Gaúcho, Roberto Dinamite e Marquinho Rodrigues. Técnico: Zanata

Súmulas de algumas partidas vitoriosas:
BOTAFOGO 3 x 0 FLAMENGO
Data: 14/08/1983
Local: Maracanã, Rio de Janeiro
Público: 71.305
Árbitro: José Roberto Wright
Competição: Campeonato Estadual
Gols: Marinho (contra), Geraldo e Berg
Botafogo: Paulo Sérgio, Josimar, Abel, Oswaldo (Christiano) e Marco Antônio; Ademir Fonseca, Demétrio e Berg (Lupercínio); Geraldo, Nunes e Jérson. Técnico: Sebastião Leônidas
Flamengo: Raul, Leandro, Marinho, Mozer e Júnior; Andrade, Adílio e Gilmar Popoca (Carlos Alberto); Robertinho, Élder (Baltazar) e Lico. Técnico: Carlos Alberto Torres

BOTAFOGO 1 x 0 VASCO DA GAMA
Data: 09/10/1983
Local: Maracanã, Rio de Janeiro
Renda: Cr$30.838.600,00
Público: 35.635
Árbitro: Arnaldo Cézar Coelho
Competição: Campeonato Estadual
Gol: Helinho, aos 40’ (2° tempo)
Botafogo: Paulo Sérgio, Josimar, Abel, Christiano e Wagner Pepeta; Alemão, Ataíde (Demétrio) e Berg; Geraldo, Nunes e Lupercínio (Helinho). Técnico: Sebastião Leônidas
Vasco da Gama: Acácio, Edevaldo, Daniel González, Nenê e João Luís; Serginho, Dudu (Vilson Tadei) e Geovani; Pedrinho Gaúcho, Roberto Dinamite e Júlio César (Paulo Egídio). Técnico: Oto Glória

BOTAFOGO 1 x 0 GOIÁS
Data: 12/09/1987
Local: Maracanã, Rio de Janeiro
Árbitro: Dulcídio Wanderley Boschilla
Competição: Campeonato Brasileiro (Copa União)
Gol: Berg, aos 32’ do 2º tempo
Botafogo: Jorge Lourenço, Melo, Vágner Bacharel, Wilson Gottardo e Renato Martins; Vítor, Evaldo (Mazolinha) e Carlos Magno; Maurício, De Lima (Tôni) e Berg. Técnico: Zé Carlos (José Carlos Bernardo)
Goiás: Eduardo, Válter, Gomes, Ronaldo Castro e Jorge Batata; Uidemar, Fagundes e Péricles; Niltinho (Marquinho), Formiga (Palhinha) e Tiãozinho. Técnico: Zé Mário
Obs.: Estreia de José Carlos Bernardo (Zé Carlos).

BOTAFOGO 2 x 0 SÃO PAULO
Data: 12/10/1987
Local: Morumbi, São Paulo
Árbitro: Nei Andrade Nunesmaia
Competição: Campeonato Brasileiro (Copa União)
Gols: Berg, aos 36’ (1° tempo); Maurício, de cabeça, aos 15’ (2° tempo)
Botafogo: Jorge Lourenço, Josimar, Vágner Bacharel, Wilson Gottardo e Mongol; Carlos Alberto Santos, Luisinho e Jéferson Gaúcho; Maurício, Tôni (Carlos Magno) e Berg. Técnico: Zé Carlos (José Carlos Bernardo)
São Paulo: Rojas, Zé Teodoro, Adílson, Darío Pereyra e Nelsinho; Bernardo, Silas e Pita; Dácio, Müller e Edivaldo. Técnico: Cilinho

BOTAFOGO 1 x 0 FLUMINENSE
Data: 23/09/1990
Local: Maracanã, Rio de Janeiro
Árbitro: Luís Carlos Félix
Assistentes: César Felisberto e João Batista Byron
Competição: Campeonato Brasileiro
Gol: Valdeir, aos 14’ (2° tempo)
Botafogo: Ricardo Cruz, Paulo Roberto, Gílson Jáder, André Santos e Renato Martins; Carlos Alberto Santos, Luisinho e Carlos Alberto Dias; Vivinho, Valdeir e Berg (Washington, depois Pingo). Técnico: Valdir Espinosa
Fluminense: Ricardo Pinto, Marquinhos, Alexandre Torres, Edgar e César Diniz (Jorginho); Marcelo Gomes, Dacroce, Macula e Julinho; Dedei e Edmílson. Técnico: Paulo Emílio

Último jogo de Berg pelo Botafogo:
BOTAFOGO 1 x 1 BRAGANTINO (SP)
Data: 28/10/1993
Local: Caio Martins, Niterói
Competição: Campeonato Brasileiro
Gol: Marcelo Costa
Botafogo: William Bacana, Eliomar, André Santos, Renato Pegorin e Clei; Nélson, Suélio (Róbson) e Dedé (Berg); Marcelo Costa, Sinval e Eliel.

Fontes: Jornal do Brasil, Jornal dos Sports e O Dia

quarta-feira, 15 de junho de 2011

Participações do Botafogo na Copa Libertadores da América

pesquisa de Pedro Varanda; texto: Claudio Falcão

A propósito da realização das finais da Copa Libertadores de 2011, julgamos interessante publicar uma resenha das três participações do Botafogo nessa que é a mais importante competição entre clubes da América do Sul.

A primeira participação do Glorioso deu-se em 1963, devido ao 2º lugar na Taça Brasil de 1962 e beneficiado pelo fato de o Santos F.C. (campeão do certame brasileiro) ter conquistado também a Libertadores daquele ano, abrindo vaga para o vice-campeão da competição nacional. A segunda investida do Botafogo no certame continental deu-se em 1973, credenciado pelo 2º lugar obtido no Campeonato Brasileiro do ano anterior. E a terceira participação do Alvinegro carioca deu-se em 1996, pois em 1995 sagrou-se campeão brasileiro.

Mas vamos aos detalhes dessas três participações.

Copa Libertadores da América de 1963:

30/06 - 1 x 0 Alianza Lima-PER
BOTAFOGO 1 x 0 ALIANZA LIMA (PER)
Data: 30/06/1963
Local: Estádio Nacional, Lima
Renda: Cr$46 milhões (60 mil dólares)
Público: 42 mil pagantes
Árbitro: José Luiz Praddaude
Competição: Taça (Copa) Libertadores da América
Gol: Élton, aos 34’ do 1° tempo
Botafogo: Manga, Paulistinha, Nagel, Nílton Santos e Rildo; Élton e Zagallo; Garrincha (Jairzinho), Jair Bala, Amarildo e Othon. Técnico: Danilo Alvim
Alianza Lima: Bazán, Rivas e Vantuil; Gusman, Donaire e De La Vega; Tenemas, Segarra, León, Rostaing e Valle. Técnico: Jayme de Almeida, ex-CRF
Obs.: Estreia de Othon Valentim Filho e do Botafogo F.R. na Libertadores da América.
Fontes: Boletim do Botafogo F.R., Jornal do Brasil, O Globo e relatório da CBD

07/07 - 2 x 0 Millonarios-COL
BOTAFOGO 2 x 0 MILLONARIOS (COL)
Data: 07/07/1963
Local: Nemesio Camacho, Bogotá
Árbitro: Ruben Cabrera (PAR)
Competição: Taça (Copa) Libertadores da América
Gols: Antoninho, aos 39’ (1° tempo) e Arlindo, aos 7’ (2° tempo)
Botafogo: Manga, Joel, Nagel, Paulistinha e Rildo; Arlindo e Zagallo; Jairzinho, Antoninho, Amarildo e Jair Bala. Técnico: Danilo Alvim
Millonarios: Centurión, Castaño, Arango, Lombana e Díaz; Jamardo (Carlos Arango) e Romeiro; Benitez, Campillo, Gamboa e Pizarro. Técnico: Gabriel Ochoa Uribe
Obs.: 1) Amarildo, aos 27’, Jairzinho, aos 33’ e Arango, aos 39’ foram expulsos no 2° tempo; 2) Segundo o Jornal dos Sports, o segundo gol foi de Amarildo, aos 8’ do 2° tempo.
Fontes: El Tiempo (da Colômbia) e O Globo

24/07 - 2 x 1 Alianza Lima-PER (Maracanã), gols: Jairzinho e Nílton Santos.

31/07 - Seria realizado o jogo de volta contra o Millonarios-COL, mas como este já estava eliminado, preferiu pagar a multa à Sul-Americana (saiu mais barato) do que viajar para o Rio de Janeiro. Fonte: Jornal do Brasil. Segundo o Boletim do Botafogo, vitória por W.O.

22/08 - 1 x 1 Santos-SP (Pacaembu), gol: Jair Bala.

28/08 - 0 x 4 Santos-SP (Maracanã).

Resumo: 6 jogos, 4 vitórias, 1 empate, 1 derrota, 6 gols pró e 6 contra.

Copa Libertadores da América de 1973:

17/02 - 2 x 3 Palmeiras-SP (Parque Antarctica), gols: Dirceu e Marinho Chagas.

24/02 - 3 x 2 Nacional-URU (Maracanã), gols: Marinho Chagas (2) e Jairzinho.

01/03 - 4 x 1 Peñarol-URU (Maracanã), gols: Roberto, Jairzinho, Fischer e Ferretti.

10/03 - 2 x 0 Palmeiras-SP (Maracanã), gols: Roberto (2).

14/03 - 2 x 2 Peñarol-URU (Estádio Centenário), gols: Marinho Chagas e Fischer.

17/03 - 2 x 1 Nacional-URU
BOTAFOGO 2 x 1 NACIONAL DE MONTEVIDÉU (URU)
Data: 17/03/1973
Local: Centenário, Montevidéu (URU)
Árbitro: Arturo Ithurralde (ARG)
Competição: Taça (Copa) Libertadores da América
Gols: Roberto, aos 45’ (1° tempo); Jairzinho, aos 30’ e Calcaterra, aos 37’ (2° tempo)
Botafogo: Wendell, Waltencir, Brito, Scala e Marinho Chagas; Nei Conceição, Carlos Roberto e Dirceu; Jairzinho, Fischer e Roberto (Ferretti). Técnico: Sebastião Leônidas
Nacional de Montevidéu: Manga, Ubiñas, Maznik, Bruñel e Blanco; Soria e Manero (Calcaterra); Cubillas, Abad, Esparrago, Mantegazza (Amarillo). Técnico: Washington Etchamendi
Fontes: Jornal dos Brasil, Jornal dos Sports e O Globo

29/03 - 2 x 1 Palmeiras-SP (Maracanã), gols: Luís Pereira (contra) e Jairzinho.


BOTAFOGO 2 x 1 PALMEIRAS
Data: 29/03/1973
Local: Maracanã, Rio de Janeiro
Renda: Cr$841.801,50
Público: 88.690
Árbitro: Ramón Barreto
Competição: Taça (Copa) Libertadores da América
Gols: Luís Pereira (contra), aos 6’ (1° tempo); Ademir da Guia, aos 17’ e Jairzinho, aos 42’ (2° tempo)
Botafogo: Wendell, Waltencir, Brito, Scala e Marinho Chagas; Carlos Roberto, Nei Conceição e Dirceu; Zequinha (Ferretti), Roberto (Fischer) e Jairzinho. Técnico: Sebastião Leônidas
Palmeiras: Leão, João Carlos, Luís Pereira, Alfredo e Zeca; Zé Carlos (Dudu) e Ademir da Guia; Edu (Ronaldo), Leivinha, Fedato e Nei. Técnico: Osvaldo Brandão
Fonte: Jornal do Brasil

06/04 - 1 x 2 Colo Colo-CHI (Maracanã), gol: Ferretti.

26/04 - 2 x 3 Cerro Porteño-PAR (Estádio Puerto Sajonia), gols: Dirceu e Zequinha.

08/05 - 3 x 3 Colo Colo-CHI (Estádio Nacional), gols: Dirceu (2) e Fischer.

15/05 - 2 x 0 Cerro Porteño-PAR (Maracanã), gols: Dirceu e Fischer.

Resumo: 11 jogos, 6 vitórias, 2 empates, 3 derrotas, 25 gols pró e 18 contra.

Copa Libertadores da América de 1996:

13/03 - 0 x 3 Corinthians-SP (Pacaembu).

26/03 - 4 x 1 Universidad Católica-CHI
BOTAFOGO 4 x 1 UNIVERSIDAD CATÓLICA (CHI)
Data: 26/03/1996
Local: Maracanã, Rio de Janeiro
Árbitro: Paolo Borgossano
Competição: Taça (Copa) Libertadores da América
Gols: Dauri, aos 35’ (1° tempo); Caro, aos 8’, Túlio, aos 13’, Bentinho, aos 21’ e Túlio, de ‘calcanhar’, aos 45’ (2° tempo)
Botafogo: Wagner, Perivaldo (Moisés) (Silas), Wilson Gottardo, Gonçalves e Paulo Roberto Prestes; Jamir, Uidemar, Beto e Dauri (Mauricinho); Bentinho e Túlio. Técnico: Marinho Peres
Universidad Católica: Tapia, Rodrigo Gomez, Vasquez, Ardinam e Lepe; Lizama, Salinas (McNiven), Jorge Gomez e Ceballos (Caro); Catê e Rozental. Técnico: Manuel Pellegrini
Obs.: No último gol alvinegro, no finalzinho do jogo, depois de passar pelo goleiro, Túlio parou a bola na linha, ficou de costas para as redes, levantou a bola e tocou de calcanhar para dentro da meta. O lance causou polêmica e a revolta dos jogadores adversários. Mas, assim era o marqueteiro Túlio...
Fontes: Jornal do Brasil, Jornal dos Sports e Rede Globo

03/04 - 1 x 1 Corinthians-SP (Maracanã), gol: Dauri.

09/04 - 1 x 2 Universidad Católica-CHI (Estádio S. C. de Apoquino), gol: Bentinho.

12/04 - 1 x 2 Universidad-CHI (Estádio Nacional), gol: Jefferson.

19/04 - 3 x 1 Universidad-CHI
BOTAFOGO 3 x 1 UNIVERSIDAD (CHI)
Data: 19/04/1996
Local: São Januário, Rio de Janeiro
Árbitro: Gustavo Gallesio, do Uruguai
Competição: Taça Libertadores da América
Gols: Leo Rodríguez, aos 19’ e Dauri, aos 35’ (1° tempo); Bentinho (2), aos 2’ e 45’ (2° tempo)
Botafogo: Alex Guimarães, Jefferson, Wilson Gottardo, Gonçalves e Paulo Roberto Prestes; Uidemar, Jamir, Bentinho e Hugo (André Silva); Mauricinho (Moisés) e Dauri (Paulinho Andrade). Técnico: Ricardo Barreto
Universidad: Vargas, Castañeda, Fuentes, Traverso e Miguel Ponce; Musrri, Galdamés, Valencia (Mora) e Leo Rodríguez; Goldberg (Sánchez) e Marcelo Salas. Técnico: Miguel Angel Russo
Fontes: Botafogo F.R. e Jornal do Brasil

01/05 - 1 x 1 Grêmio-RS (Maracanã), gol: Jamir.

08/05 - 0 x 2 Grêmio-RS (Olímpico).

Resumo: 8 jogos, 2 vitórias, 2 empates, 4 derrotas, 11 gols pró e 13 contra.

TOTAL = 25 jogos, 12 vitórias, 5 empates, 8 derrotas, 42 gols pró e 37 contra.

quarta-feira, 8 de junho de 2011

1962: Botafogo Campeão de Terra, Mar e Ar

pesquisa de Claudio Falcão


O ano de 1962 certamente foi o mais glorioso da gloriosa existência do nosso Botafogo, quando obtivemos o original título de Campeão de Terra, Mar e Ar. Tal conquista se concretizou por termos nos sagrado, naquele ano, campeões cariocas de futebol, remo e aeromodelismo. E triunfando com a bola nos pés (no futebol), com as mãos (no voleibol) e com o cérebro (no xadrez), tornou-se ainda o Botafogo Campeão dos Pés à Cabeça, ou seja, campeão de corpo inteiro.


Os mais significativos títulos conquistados pelo Grêmio da Estrela Solitária em 1962 foram os de campeão carioca de aeromodelismo, tricampeão carioca de basquetebol feminino, bicampeão carioca de futebol e campeão do Torneio Roberto Gomes Pedrosa (Rio-São Paulo), eneacampeão carioca de levantamento de pesos, campeão carioca de remo, campeão carioca de voleibol masculino e campeão carioca de xadrez.

E foram mais de sessenta títulos de campeão, em diversas categorias, numa só temporada!

No futebol profissional garantimos a posse definitiva da Taça Líder, símbolo da hegemonia desse esporte no Rio de Janeiro, por acumularmos as conquistas de 1957, 1961 e 1962.


Três taças eficiência foram conquistadas: no futebol (tricampeão – posse definitiva do Troféu Gilberto Cardoso), no basquetebol (bicampeão) e no voleibol.

E ainda obtivemos um recorde sul-americano, quando a guarnição alvinegra de outriggers a dois, sem timoneiro, composta por Villy Ramos Teixeira e Luiz Carlos Lima, no barco “Zaniah”, marcou o tempo de 7’12” para a distância de 2.000m.

[Fontes: Revista Botafogo, nº 194, de janeiro/1963, nº 195, de fevereiro/1963 e nº 196, de março/1963.]

quarta-feira, 1 de junho de 2011

Wendell, o Goleiro da Camisa Amarela

dados estatísticos e súmulas: pesquisa de Pedro Varanda; pesquisa e texto: Claudio Falcão


Wendell Lucena Ramalho, antigo arqueiro botafoguense, nasceu em Recife (PE) a 21 (segundo outras fontes, 22) de novembro de 1947.

Wendell fez 213 jogos pelo Botafogo, entre 1968 e 1977, tendo sofrido 189 gols. Esteve por empréstimo no E.C. Bahia em 1969. Também atuou pelo Fluminense F.C., de 1977 a 1979 e a seguir por Santa Cruz F.C. (PE), em 1980-1981, Guarani F.C. (SP), em 1983 e Vila Nova (GO), em 1985.

Como atleta do Glorioso foi convocado pela CBD (atual CBF) para a disputa da Copa do Mundo de 1974, sendo posteriormente ‘cortado’, por motivo de contusão.

Revezavam com ele no gol alvinegro, Cao, Ubirajara Motta, Ubirajara Alcântara, Jair Bragança e Zé Carlos.

Títulos de Wendell pelo Botafogo:
1966
Campeão Carioca Juvenil (Sub-20)
1967
Campeão do Torneio Início Juvenil
1968
Campeão da Taça Guanabara
1974
Campeão do Torneio Independência do Brasil
1975
Campeão da Taça Augusto Pereira da Motta
1976
Campeão da Taça José Wânder Rodrigues Mendes

Estreia de Wendell pelos juvenis:
BOTAFOGO 6 x 0 CAMPO GRANDE
Data: 22/05/1966
Local: General Severiano, Rio de Janeiro
Árbitro: Válter Gino
Assistentes: Nilzo Oliveira e Ademar Cruz
Competição: Campeonato Carioca Juvenil
Gols: Rui Amoroso (4) e Zezé (2)
Botafogo: Wendell, Ciro, Chiquinho Pastor, Carlos Alberto e Waltencir; Nei Conceição e Afonsinho; Zélio, Rui Amoroso, Zezé e Balinha (Leal). Técnico: Zagallo
Campo Grande: Roberto (Jorge), Baiano, Carlinhos, José Mauro e Hélio José; Almir e César; Gílson (Abimael), Dario, Aguinaldo e Lúcio. Técnico: ?
Obs.: Estreia de Wendell Lucena Ramalho, vindo do futebol-de-salão de Recife.
Fontes: Jornal dos Sports, O Globo e Última Hora

Jogo do título juvenil de 1966:
BOTAFOGO 2 x 2 VASCO DA GAMA
Data: 27/08/1966
Local: São Januário, Rio de Janeiro
Árbitro: Idovan Silva
Competição: Campeonato Carioca de Juvenis
Gols: Rogério, ao 1° minuto e Bené, aos 18’ (1° tempo); Zezé, de pênalti, aos 8’ e Romildo, aos 11’ (2° tempo)
Botafogo: Wendell, Dirman, Mário César, Carlos Alberto e Waltencir; Denisson e Ademir; Rogério, Zezé, Mimi e Balinha. Técnico: Zagallo
Vasco da Gama: Celso (Wilton), Tavares, Brandão, Ivã e Lúcio; Ézio e Bené; William, Clemente, Romildo e Okada. Técnico: Célio de Souza
Obs.: O empate garantiu ao Botafogo F.R. a conquista, por antecipação, do título de campeão de 1966.

Primeiros jogos de Wendell pelo time principal do BFR:

BOTAFOGO 2 x 2 PORTUGUESA
Data: 29/06/1968
Local: General Severiano, Rio de Janeiro
Árbitro: Nilzo de Oliveira
Competição: Amistoso
Gols: Nei Conceição, aos 7’ e Rogério, aos 17’ (1° tempo); Paulistinha (contra), aos 26’ e Antoninho, de cabeça, aos 44’ (2° tempo)
Botafogo: Cao (Wendell), Moreira, Zé Carlos (Paulistinha), Leônidas (Dimas) e Waltencir; Nei Conceição e Afonsinho (Joel); Rogério (Zélio), Parada, Humberto e Lula. Técnico: Zagallo
Portuguesa: Roberto, Jorge, Norival (Zeca), Jerri e Silas (Beto); Chiquinho e Mário Breves; Inaldo (Lazinho), Antoninho, Jorge Félix e Zé Carlos. Técnico: Daniel Pinto
Obs.: 1) Despedida de Joel Martins da Fonseca e estreia de Wendell Lucena Ramalho nos profissionais; 2) Após substituir Afonsinho, Joel foi para a lateral direita e Moreira passou para o meio-de-campo.
Fontes: Jornal do Brasil, Jornal dos Sports e Última Hora

BOTAFOGO 2 x 1 GOIÂNIA
Data: 11/09/1968
Local: Pedro Ludovico, Goiânia
Árbitro: Francisco Nogueira de Andrade
Competição: Amistoso
Gols: Valdeir, aos 45’, Paulo Cézar, aos 78’ e Humberto, aos 84’
Botafogo: Wendell, Moreira (Mura), Chiquinho Pastor, Leônidas e Waltencir; Carlos Roberto e Nei Conceição; Zequinha, Humberto, Jairzinho e Paulo Cézar. Técnico: Zagallo
Goiânia: Sorriso, Humberto, Chico, Alexandre e Silvinho; Carlinhos e Josmar; Danilo, Tuíra, Valdeir e Laírson. Técnico: ?
Obs.: O Botafogo teve que voltar ao Rio de Janeiro para estrear na Taça de Prata (em 14-09) e decidir a Taça Guanabara (em 18-09), já que o C.R. Flamengo perdeu para o Bonsucesso F.C.
Fontes: Correio da Manhã e O Globo

Decisão da Taça Guanabara de 1968 (primeira partida oficial de Wendell nos profissionais):
BOTAFOGO 4 x 1 FLAMENGO
Data: 18/09/1968
Local: Maracanã, Rio de Janeiro
Renda: NCr$331.583,25
Público: 94.535 pagantes
Árbitro: Armando Marques
Competição: Taça Guanabara (decisão)
Gols: Gérson, aos 9’ (1° tempo); Dionísio, aos 16’, Zequinha, aos 20’, Gérson, de pênalti, aos 29’ e Roberto, aos 36’ (2º tempo)
Botafogo: Cao (Wendell, aos 86’), Moreira, Zé Carlos, Leônidas (Dimas, aos 82’) e Waltencir; Carlos Roberto e Gérson; Zequinha, Roberto, Jairzinho e Paulo Cézar. Banco de reservas: Wendell, Dimas, Paulistinha, Afonsinho, Humberto e Lula. Técnico: Zagallo
Flamengo: Ubirajara Alcântara, Murilo, Onça (Jorge Andrade, aos 59’), Guilherme e Paulo Henrique; Nelsinho (Dionísio, aos 44’), Carlinhos, Liminha e Rodrigues Neto; Silva Batuta e Fio Maravilha. Banco de reservas: Marco Aurélio, Reyes, Jorge Andrade, Zezinho e Dionísio. Técnico: Válter Miraglia
Obs.: 1) Botafogo, bicampeão da Taça Guanabara (1967-1968). 2) O CRF jogou de branco e Gérson cobrou dois pênaltis, perdendo um e convertendo o outro (aos 29’ do 2º tempo).
Fonte: O Globo

Uma formação do Botafogo em 1973:
em pé - Miranda, Wendell, Osmar, Brito, Marinho e Carlos Roberto;
agachados - Zequinha, Marco Aurélio, Fischer, Jairzinho e Dirceu
(foto: Manchete)

Decisão do Torneio Independência do Brasil:
BOTAFOGO 1 x 0 VITÓRIA (BA)
Data: 08/09/1974
Local: Hélio Prates da Silveira, Brasília
Renda e público: não fornecidos
Árbitro: Édson Resende
Assistentes: Cid Fonseca e Adélio Nogueira
Competição: Torneio Independência do Brasil
Gol: Nílson Dias, aos 8’ do 1° tempo
Botafogo: Wendell, Waltencir, Mauro Cruz, Osmar e Marinho Chagas; Nei Conceição, Marcos Aurélio e Dirceu; Nílson Dias, Puruca e Fischer (Jorge Luís). Técnico: Zagallo
Vitória: Agnaldo, Roberto Oliveira, Válter, Vavá (Róbson) e Valença; Roberto Meneses, Gibira e Mário Sérgio; Osni, André e Davi. Técnico: Bengalinha
Obs.: Botafogo, campeão do Torneio Independência do Brasil.
Fonte: Jornal dos Sports

Derradeira partida de Wendell pelo Botafogo:
BOTAFOGO 3 x 4 VASCO DA GAMA
Data: 18/02/1977
Local: Maracanã, Rio de Janeiro
Renda: Cr$416.525,00
Público: 16.960
Árbitro: Élson Pessoa
Competição: Amistoso
Gols: Perivaldo, aos 5’, Ramon, de cabeça, aos 10’, Tiquinho, aos 23’ e Dirceu, aos 25’ (1° tempo); João Paulo, aos 11’, Dirceu, aos 25’ e Fumanchu, de pênalti, aos 27’ (2° tempo)
Botafogo: Wendell, Perivaldo, Fred, Odélio e Jorge Luiz; Luizinho Rangel, Mendonça e Manfrini; Ademir Vicente, Dé (João Paulo) e Tiquinho. Técnico: Sebastião Leônidas
Vasco da Gama: Mazzaropi, Orlando (Fernando), Abel, Geraldo e Luís Augusto; Zé Mário, Zanata e Dirceu; Fumanchu (Helinho), Ramon e Galdino (Wilson). Técnico: Orlando Fantoni
Fonte: Jornal do Brasil

Ultimamente Wendell vem exercendo a função de preparador de goleiros da seleção brasileira.